quarta-feira, 31 de outubro de 2018

Monitoramento da Temperatura em Esteiras



Em nosso artigo do blog publicado no dia 11 de outubro de 2018 (http://www.blog.sense.com.br/2018/10/seguranca-e-monitoramento-para.html)  escrevemos sobre esteiras transportadoras e a importância do monitoramento de segurança caso haja um desalinhamento desta.

Ali tratamos de  dispositivos de monitoramento que são instalados na parte da esteira em que o produto é carregado,chamada de cobertura superior da transportadora, que  mesmo quando instalados seguindo todas orientações do fabricante e normas, há um espaço entre o funcionamento considerado normal da esteira e o momento que este sensor é acionado detectando seu desalinhamento, e neste espaço ocorre um aumento de temperatura nos seus rolamentos podendo tornar um ponto de ignição espontânea.

O monitoramento por dispositivos on-off é muito utilizado e promove uma proteção, porém pode-se perceber que a partir do momento que inicia o processo de desalinhamento até a hora em que este sensor é acionado, há um desbalanceamento da esteira e por segurança deve-se monitorar as temperaturas de seus rolamentos, através de elementos de medição de temperatura.
O equipamento mais comum para esta medição são as termoresistências, dispositivos simples que através da alteração da resistência do bulbo montado internamente em um tubo metálico, vari a a temperatura de medição sendo monitorada utilizando um conversor e está interligado a uma barreira Exi (segurança Intrínseca).

Resultado de imagem para rolamento esteiras


A realidade nos traz dois sistemas de monitoramento para o mesmo problema: um on-off e outro através da medição da temperatura, há como avaliar  o melhor?
É preciso destacar que a primeira alternativa é realizada através do interruptor, detectando o desalinhamento da esteira, sendo a consequência, n caso o aquecimento,  o principal risco, ele pode, em última instância, ocasionar a explosão com a ignição espontânea.

Pode-se afirmar, portanto que a solução com medidores de temperatura possui a medição direta para o principal risco, e garante a segurança do sistema.
A maneira mais simples e segura de fazer este monitoramento em ambientes com poeira explosiva é utilizar barreiras de segurança intrínseca fora da área classificada protegida em um painel normal de mercado, ou dentro da área classificada protegida dentro de um painel Ex adequado. Esta solução permite que a instalação seja simples, e permite manutenção “a quente” dos termoelementos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário