quinta-feira, 18 de outubro de 2018

Estudo e Aplicação da Rede Industrial IO-Link no Contexto da Indústria 4.0




As indústrias tem buscado cada dia mais se adequar a processos que são independentes do operador, e que, ao mesmo tempo, possuam maior eficiência, qualidade e segurança. Se observarmos as revoluções industriais pelas quais já passamos, sendo a última delas marcada pela utilização dos primeiros CLPs no chão de fábrica, é possível ver claramente que em cada uma delas o processo foi sendo adequado e otimizado para que seja cada vez mais independente e confiável.

A Indústria 4.0, nada mais é do que a quarta revolução industrial, tendo o mesmo propósito das últimas três revoluções pelas quais já passamos, que é de tornar um processo independente e inteligente, com o mínimo possível de intervenção do operador. Isso é possível através da coleta de dados e conectividade entre todas as partes envolvidas, ou seja, os setores internos da indústria, clientes e até mesmo terceiros, como fornecedores e prestadores de serviços.

A tecnologia IO-Link é uma grande aliada quando falamos de Indústria 4.0. Com essa tecnologia é possível realizar a coleta e armazenamento de dados de processo em tempo real através de cabeamentos já existentes nas instalações, sem que seja necessário toda uma reestruturação do processo, sendo ainda um fieldbus independente. Isso é possível pois com a utilização de um mestre IO-Link a rede pode ser conectada a diversos protocolos de comunicação, como por exemplo o PROFIBUS, PROFINET e EtherNet I/P.



Figura 1 - Arquitetura IO-Link.

O IO-Link permite também a parametrização e substituição dos dispositivos de forma simples, sendo capaz de baixar os parâmetros no dispositivos de substituição diretamente do controlador ou, mestre IO-Link, o que elimina a configuração manual realizada pelo operador a cada substituição.

A tecnologia IO-Link pode ser considerada como a “porta de entrada” para a Indústria 4.0, pois possibilita a coleta de dados em tempo real, além de permitir seu armazenamento e envio a níveis superiores da rede para tomadas de decisão. Com isso é possível desenvolver uma inteligência no processo, tendo como base as informações coletadas. Sua aplicação pode se dar tanto em máquinas de processo já existentes, sendo adequadas para essa coleta de dados com dispositivos IO-Link, quanto em pontos estratégicos da instalação, o que possibilita também a prevenção de falhas antes que o processo possa ser comprometido por alguma parada inesperada.

Pode-se ainda conectar vários dispositivos inteligentes na rede IO-Link em um único endereço com a utilização de “Hubs de sensores/atuadores configuráveis com IO-Link”. Dentre estes dispositivos inteligentes estão sensores indutivos, capacitivos, de pressão, de temperatura, óticos e ultrassônicos.

Caso haja interesse de conhecer de forma pouco mais detalhada sobre a tecnologia IO-Link, deixo disponível meu trabalho de conclusão de curso direcionado ao assunto. (clique para ler)

Autor: Humberto José Gonzaga

Nenhum comentário:

Postar um comentário