quarta-feira, 31 de outubro de 2018

Monitoramento da Temperatura em Esteiras



Em nosso artigo do blog publicado no dia 11 de outubro de 2018 (http://www.blog.sense.com.br/2018/10/seguranca-e-monitoramento-para.html)  escrevemos sobre esteiras transportadoras e a importância do monitoramento de segurança caso haja um desalinhamento desta.

Ali tratamos de  dispositivos de monitoramento que são instalados na parte da esteira em que o produto é carregado,chamada de cobertura superior da transportadora, que  mesmo quando instalados seguindo todas orientações do fabricante e normas, há um espaço entre o funcionamento considerado normal da esteira e o momento que este sensor é acionado detectando seu desalinhamento, e neste espaço ocorre um aumento de temperatura nos seus rolamentos podendo tornar um ponto de ignição espontânea.

O monitoramento por dispositivos on-off é muito utilizado e promove uma proteção, porém pode-se perceber que a partir do momento que inicia o processo de desalinhamento até a hora em que este sensor é acionado, há um desbalanceamento da esteira e por segurança deve-se monitorar as temperaturas de seus rolamentos, através de elementos de medição de temperatura.
O equipamento mais comum para esta medição são as termoresistências, dispositivos simples que através da alteração da resistência do bulbo montado internamente em um tubo metálico, vari a a temperatura de medição sendo monitorada utilizando um conversor e está interligado a uma barreira Exi (segurança Intrínseca).

Resultado de imagem para rolamento esteiras


A realidade nos traz dois sistemas de monitoramento para o mesmo problema: um on-off e outro através da medição da temperatura, há como avaliar  o melhor?
É preciso destacar que a primeira alternativa é realizada através do interruptor, detectando o desalinhamento da esteira, sendo a consequência, n caso o aquecimento,  o principal risco, ele pode, em última instância, ocasionar a explosão com a ignição espontânea.

Pode-se afirmar, portanto que a solução com medidores de temperatura possui a medição direta para o principal risco, e garante a segurança do sistema.
A maneira mais simples e segura de fazer este monitoramento em ambientes com poeira explosiva é utilizar barreiras de segurança intrínseca fora da área classificada protegida em um painel normal de mercado, ou dentro da área classificada protegida dentro de um painel Ex adequado. Esta solução permite que a instalação seja simples, e permite manutenção “a quente” dos termoelementos.

quinta-feira, 25 de outubro de 2018

SENSE e FMECAL - A importância das soluções


Veja o depoimento do Engenheiro Carlos Martins da F.Mecal ( Mecânica e Caldeira) uma empresa de equipamentos eletro-eletrônicos do setor sucroalcooleiro que fica em Sertaozinho no interior de São Paulo.


No vídeo, ele destaca pontos importantes dessa parceria que mostra a importância da solução.


Além do destaque dado na área de INOVAÇÃO da SENSE, sempre trazendo novidade acessíveis em produtos.Não deixe de assistir!


 

quinta-feira, 18 de outubro de 2018

Estudo e Aplicação da Rede Industrial IO-Link no Contexto da Indústria 4.0




As indústrias tem buscado cada dia mais se adequar a processos que são independentes do operador, e que, ao mesmo tempo, possuam maior eficiência, qualidade e segurança. Se observarmos as revoluções industriais pelas quais já passamos, sendo a última delas marcada pela utilização dos primeiros CLPs no chão de fábrica, é possível ver claramente que em cada uma delas o processo foi sendo adequado e otimizado para que seja cada vez mais independente e confiável.

A Indústria 4.0, nada mais é do que a quarta revolução industrial, tendo o mesmo propósito das últimas três revoluções pelas quais já passamos, que é de tornar um processo independente e inteligente, com o mínimo possível de intervenção do operador. Isso é possível através da coleta de dados e conectividade entre todas as partes envolvidas, ou seja, os setores internos da indústria, clientes e até mesmo terceiros, como fornecedores e prestadores de serviços.

A tecnologia IO-Link é uma grande aliada quando falamos de Indústria 4.0. Com essa tecnologia é possível realizar a coleta e armazenamento de dados de processo em tempo real através de cabeamentos já existentes nas instalações, sem que seja necessário toda uma reestruturação do processo, sendo ainda um fieldbus independente. Isso é possível pois com a utilização de um mestre IO-Link a rede pode ser conectada a diversos protocolos de comunicação, como por exemplo o PROFIBUS, PROFINET e EtherNet I/P.



Figura 1 - Arquitetura IO-Link.

O IO-Link permite também a parametrização e substituição dos dispositivos de forma simples, sendo capaz de baixar os parâmetros no dispositivos de substituição diretamente do controlador ou, mestre IO-Link, o que elimina a configuração manual realizada pelo operador a cada substituição.

A tecnologia IO-Link pode ser considerada como a “porta de entrada” para a Indústria 4.0, pois possibilita a coleta de dados em tempo real, além de permitir seu armazenamento e envio a níveis superiores da rede para tomadas de decisão. Com isso é possível desenvolver uma inteligência no processo, tendo como base as informações coletadas. Sua aplicação pode se dar tanto em máquinas de processo já existentes, sendo adequadas para essa coleta de dados com dispositivos IO-Link, quanto em pontos estratégicos da instalação, o que possibilita também a prevenção de falhas antes que o processo possa ser comprometido por alguma parada inesperada.

Pode-se ainda conectar vários dispositivos inteligentes na rede IO-Link em um único endereço com a utilização de “Hubs de sensores/atuadores configuráveis com IO-Link”. Dentre estes dispositivos inteligentes estão sensores indutivos, capacitivos, de pressão, de temperatura, óticos e ultrassônicos.

Caso haja interesse de conhecer de forma pouco mais detalhada sobre a tecnologia IO-Link, deixo disponível meu trabalho de conclusão de curso direcionado ao assunto. (clique para ler)

Autor: Humberto José Gonzaga

quinta-feira, 11 de outubro de 2018

Segurança e monitoramento para desalinhamento de esteiras: Área classificada


Um dos principais equipamentos para deslocamentos de produtos sólidos, as correias transportadoras; sem dúvida têm um papel fundamental seja em portos, em carregamentos de grãos para exportação ou em silos para estocagem.





Com as atuais expansões nestes sistemas de transporte por esteira, traz por outro lado, um aumento nas precauções a serem tomadas, certo? No sentido de que agora toda parte de monitoramento de esteira passou a ser muito importante, e grande parte destas aplicações possuem agravante de serem dentro de uma área classificada com risco de explosão. 

Quem nunca teve um problema com o desalinhamento da correia em determinado ponto do sistema? É possível, inclusive, quantificar esse prejuízo... horas paradas, e em alguns casos o rompimento da correia.

Alguns equipamentos podem ser utilizados para minimizar esse inconveniente, os famosos interruptores de falha do alinhamento.
Dispositivos simples, instalados ao longo do sistema de transporte utilizam uma alavanca alinhada a correia que ao menor deslocamento acionam um contato seco para alertar a operação dessa ocorrência.

Agora que primeiro problema foi resolvido e de certa forma, foi possível antecipar a ocorrência do desalinhamento, como instalar esse componente considerando que essa é uma  área classificada?
Isso porquê, atualmente processos em que partículas e sólidos em suspensão são compulsórios,  que é o caso das esteiras,  os equipamentos e dispositivos devem possuir proteção e certificações para instalações em área classificadas, as famosas zonas 20, 21 e 22. Mas esse é um tema de tal relevância que trarei em um artigo separado.

As fundamentais barreiras Exi (Segurança Intrínseca) são uma excelente opção para serem utilizadas, lembrando... uma das opções, existem outras,  que limitam a energia interligada aos dispositivos, neste caso o interruptor de desalinhamento. 

Tenha em mente todas essas informações quando for trabalhar as definições e características desse tipo de aplicação e projeto, pois é ia melhora do processo é feita  através dos equipamentos em Segurança Intrínseca (Exi) que você escolhe.

Autor: Cauê Monteiro

quinta-feira, 4 de outubro de 2018

Parceria SENSE e CITROTEC

Segue o vídeo com o depoimento de mais um cliente-parceiro: a Citrotec (http://www.citrotec.com.br/) de Araraquara, que fala muito sobre  relacionamentos entre empresas.

Vejam quais são, nas palavras da cliente Debora Trevolin, muitas das virtudes necessárias, para que uma empresa como a nossa se perpetue.


Com mais de 40 anos de mercado, a SENSE não conseguiria se fosse apenas uma fornecedora de produtos, e sim porquê tem entre seus grandes diferenciais: ENTENDER e ATENDER o mercado.


E isso fica muito explícito em um caso real. Com um de nossos produtos de grande sucesso comercial! Veja Abaixo:




Quer conhecer mais sobre nós? visite nosso site!